Riscos

15 de abril de 2010



Poesia não se explica
Arte se aplica
A tudo aquilo que busca expressar
Alguma beleza
Ou estranheza
Subjetiva



O gosto que não se discute
Sentimento que repercute
Em uma só alma
Ou muitas a afirmar então
O autor em artista
Agora livre para experimentar
A viagem sensorial
Intangível



Dedicado ao resgate
Do instante congelado
Em uma história
Só contada
No vazio preenchido
Da memória



Corra os riscos
Caia em tentação
Das formas imperfeitas
A felicidade da descoberta
Ao acaso, o feliz acidente
Ou no estudo geométrico das formas
Se faz a obra



Alimento da alma
Registro de cultura
Das rimas
Do ritmo
Da luz e da textura



A matéria que pulsa
Também gera repulsa
Qual o sentido de tudo isto?
Qualquer um faria isso!
Arranje algo mais produtivo
Do que a inútil contemplação



Surfers: Tomas Oberst - Praia dos Açores - março - 2010 / Rodrigo "Terror" Dagostin - Praia de Palmas - abril - 2010

Referências: J.D Salinger - escritor que não queria ser publicado / Pepê Cezar - poeta surf brasileiro com novo blog / Jair Bortoleto - artista da alma santista

5 comentários:

Tomas Oberst Kadgien disse...

O surf é poesia...

As fotos ficarom muitos legais!
Boa Luciano!!

forte abraco,
Tomas O.K.

Pedro Cezar disse...

Fotos lindíssimas! Belo "resgate do instante".
Parabéns!

Surf4ever disse...

Belas palavras e fotos!
Não sabia que tu conhecias o Rodriguinho, gente finíssima, grande brother.
Abraço,
Gustavo

rodrigo terror dagostin disse...

show o texto e as imagens!! "alimento da alma", define bem o surf..

grande abraço

Felipe Siebert disse...

irado! as fotos ficaram perfeitas no contexto...

depois da uma olhada no meu blog, fotos do fim de semana... era pra ti estar ali hehe

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails