Grandiosas Miniaturas

9 de junho de 2011



Pesquisando sobre a produção de miniaturas de pranchas de surf descobri, através de algumas indicações, o trabalho do californiano Malcolm Wilson. Com décadas de experiência na produção de miniaturas e dioramas, ele desenvolveu um minucioso resgate da história do surf reunido em quadros, uma coleção de réplicas de pranchas clássicas em miniatura, que são verdadeiras obras de arte.

Este tipo de trabalho com miniaturas é pouco difundido ou quase inexistente no Brasil, especialmente no segmento do surf - os colecionadores deste tipo de arte são em maior número voltado para réplicas de automóveis e aviões. O surfista profissional Fábio Gouveia me contou outro dia que, quando moleque, desenvolveu a sua paixão pela arte de shapear pranchas fazendo chaveirinhos de pranchas de surf em miniatura para tirar uns trocados. Eu pessoalmente me lembro de alguns amigos que antigamente shapeavam suas miniaturas de brincadeira com sobras de espuma de poliuretano.

Além de sua incrível habilidade manual, o grande mérito do trabalho de Wilson reside na minuciosa pesquisa e catalogação de cada série de pranchas, buscando a fidelidade máxima alcançada no contato direto com o modelo original de grandes mestres e na reprodução dos materiais e artes originais. Além disso, cada série, que pode tanto mostrar a evolução de modelos ancestrais havaiano como uma evolução cronológica dos designs de um determinado shaper, constrói um precioso registro museológico para as futuras gerações.


A série Board Sports mostra a evolução do design de diversos esportes com prancha

Dada a riqueza de detalhes envolvidos, cada série de pranchas pode levar meses para ser produzida e Wilson complementa a sua arte incluindo em cada quadro textos explicativos, fotografias e imagens que enriquecem o material, sempre com extremo bom gosto. Para alguns quadros ele também produz incríveis dioramas, reproduzindo o lineup de picos como Malibu, baseando-se em mapas topográficos.

Não por acaso, as séries limitadas de Malcolm Wilson são vendidas a preço de obra de arte, sendo que as séries mais elaboradas chegam a custar 4.500 dólares cada. O preço é salgado, mas certamente seria um privilégio poder contar com um desses quadros decorando a parede de casa.



Em entrevista exclusiva ao Surf & Cult, o artista Malcolm Wilson contou um pouco sobre o seu trabalho e trajetória pessoal:

1 - Como você desenvolveu suas habilidades e a idéia para as coleções de miniaturas de pranchas de surf? Quando você começou a vendê-los?

Tenho construído modelos ao longo de toda a minha vida e comecei a trabalhar profissionalmente com isso há cerca de 30 anos atrás. Principalmente na área de arquitetura e náutica. Eu construí a minha primeira coleção de modelos de pranchas cerca de 20 anos atrás. Em meio a grande resposta positiva a este primeiro trabalho e o meu amor ao surf e à história do surf eu resolvi fazer mais surf art. Tive a oportunidade de conhecer e trabalhar com um monte de grandes surfistas e shapers, como Greg Noll, Dale Velzy, Phil Edwards e uma longa lista.

2 - Conte um pouco sobre seu trabalho. Parece muito meticuloso. Quais os materiais que estão envolvidos? Quanto tempo leva para shapear cada prancha?


Eu me esforço ao máximo para produzir reproduções precisas e fiéis, com qualidade de museu, utilizando espuma e fibra de vidro, madeiras redwood, balsa, etc. Eu tenho trabalhado em estreita colaboração com os shapers originais destas pranchas para criar um modelo exato nas bordas, quilhas e rocker, para criar uma réplica perfeita de cada prancha.

Eu tomo muito cuidado em reproduzir a arte do deck, esquemas de cores e logotipos, que são todos pintados à mão. Provavelmente levo tanto tempo ou mais para dar forma e finalizar uma miniatura de uma prancha do que o mesmo modelo em tamanho real.



3 - Como você escolhe as pranchas que deseja reproduzir? Quantos diferentes modelos e coleções já foram produzidos e quais estão disponíveis para venda?


Eu escolhi começar com alguns dos grandes shapers de surf, destacando os seus designs mais memoráveis e ​​mostrando a sua história cronológica. Assim, criei várias dezenas de diferentes coleções de edição limitada e já vendi muitas centenas delas ao longo dos últimos 20 anos.

Eu tenho algumas edições que se esgotaram, como a coleção Waterman, mas ainda tenho disponível alguns exemplares da maioria das minhas coleções produzidas por comissão. Para citar alguns, tem o Velzy, o Greg Noll, o Copeland Bing, o Dewey Weber, a evolução da Boardsports, a Nalu He'e At Waikiki, entre outras.


Malcolm Wilson entrega ao baixista Flea dos Red Hot Chili Peppers a sua série Board Sports

4 - O quão difícil é conseguir ter em mãos algumas dessas pranchas tamanho real para desenvolver as miniaturas? Você já teve a chance de surfar em alguns exemplares originais desses modelos clássicos que reproduziu? Existe alguma prancha favorita?


Por conta de ter trabalhado diretamente com os shapers das pranchas originais, eu tive acesso a muitas das pranchas que reproduzi. Eu também passo muito tempo pesquisando. Além disso, eu coleciono e surfo com pranchas vintage e a minha favorita é uma Phil Edwards 10.6. Eu também tenho um dos melhores museus de surf do mundo bem na minha cidade - a Surfing Heritage Foundation - então tenho a chance de encontrar exemplares de quase tudo que eu preciso.

5 - Conte um pouco sobre sua relação com o surf. Quando foi que você começou, com que frequencia você surfa e quais são os seus picos favoritos?


Comecei a surfar em meados dos anos 1960, ainda garoto, no meu pico local de Poche em San Clemente. Meu lugar favorito ainda é Doheny que fica há cerca de 5 minutos da minha casa. Eu também curto surfar em San Onofre, no pier de San Clemente e no South Shore de Oahu, quando tenho a chance de ir pra lá.

6 - O que você sabe sobre o surf no Brasil? Você já vendeu algumas de suas obras para surfistas brasileiros?

Para ser honesto, eu não sei muito sobre o surf no Brasil, gostaria de chegar aí um dia para conhecer. Eu tive o prazer de conhecer muitos dos vizinhos do seu país como Felipe Pomar e Eduardo Arena (surfistas peruanos).



Conheça outras obras de Malcolm Wilson na Wave Riders Gallery clicando aqui.
Fotos de divulgação - acervo pessoal. Colaboração: Kathryn Wilson

6 comentários:

daniel caon alves disse...

Muito irado! As pranchinhas são perfeitas! Quando me falam da cultura do surf, é isso o que tenho em mente, e não "campeonato" e "bermuda de marca".

Felipe Siebert disse...

po..... in-cri-vel!!!

Flea, seu safado! doa essa pra mim!

Danimiquelon disse...

Um trabalho de encher os olhos e alma de alegria!

Fred disse...

Poo.. doido

Lucas Fernandes Coelho disse...

Ainda é comercializado?

Anônimo disse...

lindas! vejam no facebook Larry´s Surfboards

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails