Pegadas - A Série

25 de agosto de 2014



Desde o início da produção do documentário "Pegadas Salgadas", minha intenção era transformar o projeto em uma série de TV, aproveitando ao máximo todo o rico material produzido com 25 representantes da cultura surf em Florianópolis, ampliando o escopo para todo o estado de Santa Catarina e, se a ideia fosse bem sucedida, por que não,  todo o litoral brasileiro.

O filme foi lançado com sucesso em 2012, sendo exibido em festivais de cinema no Brasil e no exterior, além de chegar à televisão com exibições  no Canal Off. Contudo, infelizmente a ideia de produzir a série esbarrou nas respostas evasivas dos canais de TV dedicados a esporte e aventura que procurei, e assim, o material das entrevistas e as ideias para novos temas e personagens estão desde então guardados em hard drives e documentos eletrônicos.


Na semana passada, com a volta do debate sobre o localismo na grande mídia, por conta dos episódios de agressão na praia do Campeche, resolvi editar o trecho de Pegadas Salgadas que trata do localismo de modo a contribuir para as polêmicas posições em torno deste tema tão controverso - e aproveito aqui para reforçar o meu repúdio a qualquer tipo de violência física e verbal, dentro e fora d'água.

Feito isso, decidi ir além e criar um canal para uma websérie Pegadas Salgadas, onde irei postar semanalmente episódios segmentados que reúnem outros temas abordados pelo filme, como a pesca da tainha, as profissões envolvidas no surf-  como shapers, fotografia, escolinhas de surf e surf repórteres -, além de publicar mini-perfis com alguns dos personagens.

Além dos trechos sobre estes temas presentes no filme longa-metragem, a ideia é também incluir imagens e depoimentos inéditos, além de produzir novos materiais para tornar ainda mais completo esta inesgotável possibilidade de conteúdos que o tema da cultura do surf em Santa Catarina suscita.


Minha impressão pessoal é que os canais de tv a cabo com programação dedicada ao surf, em geral estão se perdendo no conteúdo vazio dos formatos reality-show "egotrip", onde os "apresentadores" se atribuem mais importância do que os personagens e locais que visitam - e o pior é que na maioria dos casos falta a estes apresentadores o carisma pessoal e o talento nas ondas necessários para que este formato se sustente.

Acredito que é possível unir belas imagens de ação e natureza com um conteúdo culturalmente enriquecedor para quem está assistindo. E se não podemos viabilizar isto na tv, que seja no ainda democrático universo da internet.

Confira aqui o canal da websérie Pegadas Salgadas: https://vimeo.com/channels/seriepegadas

3 comentários:

Bruno disse...

O localismo é e sempre foi necessário, mas em boa dosagem. Quando passa de medida mantenedora dos bons costumes locais (naquela idéia de que quem vem de fora traz consigo rituais que não são os da localidade e que acaba destoando o status quo da região. A exemplo: educação com lixo, trânsito, barulho, etc) e transforma-se em ferramenta para benefício próprio de um bem comum e, assim, passando a incidir em tipificações penais, o localismo deixa de ser benéfico e passa a ser maléfico. A linha é tênue, assim como o é o bom senso.
Ótima iniciativa, Surf & Cult sempre na crista da onda!
Abs!

Anônimo disse...

Como se todos locais fossem pessoas educadas com o lixo, exemplos sublimes de civilidade no trânsito e no botão do volume de seus sistemas de sons automotivos. Mas que balela fascista. Sou filho de catarinenses, que tiveram de sair da ilha para ir atrás de seus sonhos e conquistar muito do que têm hoje. Assim como meus pais, há muitos outros. O pensamento do surfista com atitude "local"de Florianópolis e de muitas outras praias do nosso Brasil é antiquado, egocêntrico e como já disse antes, fascista. A atitude do surfista médio nacional perante seus pares e sociedade está regredindo, logo agora que profissionais como Gabriel Medina e o próprio autor desse blog iniciam um processo de evolução no que diz respeito a qualidade do produto "surfe brasileiro".

Tomas Oberst Kadgien disse...

Luciano!!! Felicitaciones por pegadas saladas!!!! Acho que es el documental más honesto sobre la cultura de floripa, la isla más hermosa de Brasil, donde no sólo brasileños, sino uruguayos, chilenos , hawaianos, argentinos y surfistas de todo el mundo encontraron un oasis surfero en el Atlántico gracias a las grandiosas olas y la camaradería de la galera local que nos recibe.

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails